Em seu primeiro pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, após assumir a vaga de suplente de deputado, Solange Duailibe (SD) comentou notícias veiculadas na imprensa de que sua posse teria sido premeditada para lapidar uma impunidade, em função de um processo contra ela que corre na Justiça de primeira instância.

Segundo a parlamentar, a informação “não guarda coerência com a realidade”. Ela afirmou que a prerrogativa de foro não significa ser julgada por uma legislação mais branda.

Solange esclarece que, por assumir a função de deputada, o processo se desloca para o Tribunal de Justiça, devido o foro privilegiado que tem direito um parlamentar. Mudança que, segundo a deputada, não deveria acontecer. Ela garantiu que solicitou à justiça a dispensa de foro privilegiado. E concluiu afirmando que acredita na justiça, na prevalência da verdade e na isenção jurídica.

Ainda em seu discurso, Solange saudou o deputado  Eduardo Siqueira Campos (DEM), titular da vaga  licenciado. “Desejo uma boa recuperação ao deputado Eduardo Siqueira, ao mesmo tempo em que lhe parabenizar pelo exímio trabalho nesta Casa de Leis”, disse a deputada.(Elpídio Lopes)